A gestão de pessoas e o marketing – a união perfeita

OPINIONMAKERS-margarida
A sustentabilidade da criação e desenvolvimento de uma marca está profundamente dependente da imagem e perceção que os colaboradores têm dela. Os recursos humanos são os principais e mais eficazes veículos de comunicação de uma marca com o exterior. São os seus verdadeiros embaixadores.
Da mesma maneira que o marketing procura, continuamente, desenvolver estratégias para conquistar novos clientes e manter os atuais satisfeitos, os responsáveis pela gestão de pessoas estão cada vez mais focados em conhecer os seus “clientes internos” e atuarem em dimensões tão criticas como o engagement, o clima e cultura organizacional, as lideranças e o worklife-balance. O objetivo é investir na valorização das equipas, no que as motiva e no que as inspira a serem top performers. Afinal, equipas felizes são mais produtivas e mais produtividade, gera mais receita.
À primeira vista, o employer branding pode parecer simples de implementar, mas traduzir os valores e visão da empresa em processos e metodologias que transmitam, de dentro para fora, a personalidade e o ADN das organizações é, sem dúvida, um desafio complexo que se coloca aos responsáveis da gestão de pessoas. A base de construção do employer branding está, na minha opinião, assente em 3 grandes pilares:
1. Diferenciação – Sabe quais são os fatores diferenciadores da sua organização na angariação e retenção de talento? Qual é a verdadeira proposta de valor para os seus colaboradores e para potenciais candidatos?
2. Integração e cooperação – Existe alinhamento de expetativas, esforços e comprometimento entre as áreas de recursos humanos, marketing, comunicação e gestão de topo na construção da marca?
3. Planeamento a longo prazo – O employer branding é um projeto de longo prazo que exige planeamento e estratégia. A reputação de uma marca quando solidificada passa a ser independente de iniciativas isoladas de atração e retenção de talentos.
Implementar as estratégias de marketing na gestão de pessoas deverá ser sempre muito mais do que uma mera intenção ou conceito teórico. É um exercício que poderá revolucionar muito positivamente, a imagem da sua marca e da sua organização.