Escape Game – O derradeiro desafio 

OPINIONMAKERS-joao
Desde o final de 2014 que desenvolvemos e integramos a dinâmica dos Escape Game como um  cenário perfeito para trabalhar as competências core de uma equipa.
Se, antes, desenvolvíamos esta atividade com parceiros, desde janeiro de 2016 que, na nossa Escape House, pensámo-la como um desafio em que a equipa, pela combinação conjunta de valências e esforços, conseguiria alcançar o sucesso e sair da casa. Contudo, temos verificado que a prova vai muito além do que é um team building. Nesta prova, são evidenciados diferentes perfis de colaboradores, desde os mais diretivos aos mais ponderados. Todos eles acabam por sobressair, na medida em que são criadas várias situações em que cada perfil consegue ter maior sucesso em determinado momento/nível do desafio.
Desta forma, para além de termos a superação do desafio pela combinação de esforços, temos momentos cruciais de sucesso de cada colaborador, que contribuem para o sucesso do todo.
Num Escape Game, cada colaborador, individualmente, aportará para o desafio o melhor de si ou a sua forma de agir perante uma determinada situação de stress ou problema. É nestes momentos/contextos que conseguimos analisar a forma como cada colaborador se posiciona no grupo e como, individualmente, lida com os seus sucessos e frustrações.
Assim, um Escape Game constitui um verdadeiro assessment individual, conseguindo-se trabalhar com cada colaborador os comportamentos observáveis e que o próprio terá oportunidade de ver, uma vez que todo o jogo é filmado.
Num debriefing global da dinâmica, a equipa em jogo deverá destacar os pontos fortes e áreas de melhoria que os conduziram ao sucesso ou insucesso da atividade, destacando os momentos principais que viveram em jogo e como conseguiram superá-los ou não.
Um Escape Game não é um jogo de sucesso garantido. Uma equipa de excelência pode conseguir superá-lo, mas também pode não o conseguir! Desta forma, importa identificar e integrar os pontos estratégicos e estruturais que equipa e cada colaborador individualmente deve desenvolver para conseguir num próximo desafio estar “à altura” e superá-lo!