Dicas para mudar de empresa fácil e suavemente

Mudar de empresa é sempre um desafio e a transição no mercado de trabalho, se se quiser bem feita e suave, implica processos de procura de informação e melhoria de conhecimento. E na economia atual, em que o cenário é uma rápida transformação, a base para a mudança deverá ser uma perspetiva permanente de olhar para tudo como se se estivesse a começar a carreira.

O “estatuto” de início de carreira deverá ser a base para um mundo em mutação constante, onde se contacta de forma constante com novas tecnologias, novas pessoas e novas situações. E isto é importante porque há uma tendência, no atual mercado, para se olhar para os novos colaboradores, não pela sua expertise ou especialização, mas pelo potencial que traz o início de carreira para uma empresa.

Isto porque, em muitos projetos, o objetivo dificilmente será replicar aquilo que se sabe ou que se aprendeu, já que a contratação implica a aprendizagem, ou reaprendizagem de muitas coisas, uma vez que a empresa é diferente, o timing é outro, os fatores a considerar são diferentes e mesmo a perspetiva de mercado poderá ser diversa. Neste contexto replicar a experiência ou a especialização poderá ser limitado. Será preciso fazer algo novo. E para o fazer há que ter abertura para aprender.

Tenha em atenção os seguintes pontos de forma a desenvolver um espírito de mudança suave, com base numa abertura de espírito que torna a transição mais fácil.

Para desenvolver uma mentalidade de início de carreira as soft skills são vitais. Muito mais do que conhecimentos técnicos serão necessários habilidade cognitiva, empatia, capacidade de trabalhar em equipa, curiosidade e proatividade.

Lembre-se que é novato. Para além da mentalidade de início de carreira, observe e recorde-se que o seu conhecimento é de contexto muito diferente. É necessária humildade para aprender com base, não só no conhecimento anterior, mas também na cultura da atual empresa. Observe como se relacionam as pessoas, como interagem e se integram as equipas. Olhe com curiosidade e sentido de dever pata ser um melhor profissional no novo contexto de trabalho. 

A dificuldade de adaptação é um dado adquirido, mas deve ser encarada como uma oportunidade. Uma mudança obriga a sair da zona de conforto o que implica, em maior ou menor grau, dificuldade de adaptação. E essa dificuldade poderá funcionar como catalisador de mudanças e inovação. Ser novo em determinado contexto permite desafiar o ‘status quo’ e proporcionar à empresa novas formas de pensar e implementar soluções.

Estude a nova empresa. Além de olhar com atenção para notícias e os principais movimentos de mercado (fusões, aquisições, etc), tente falar com atuais e antigos colaboradores, e peça à gestão informação, relatórios e toda a leitura de contexto que o ajude na integração. Procure o mais vasto conhecimento possível.

A cultura da empresa, em especial como é que esta permite progredir na carreira, gera oportunidades e permite educação e formação, deve ser tida em atenção. Questões como a flexibilidade, quer de local, quer de horário ou a abertura à diversidade poderão também ser decisivas. Inovação implica diversidade.

Depois, se possível, mais do que o salário – que é importante, mas é de curto prazo – deve-se tentar uma perspetiva de quem conduz o negócio, de forma a poder contribuir de forma mais assertiva para o seu desenvolvimento.

E ainda, mais uma vez se possível, pare por um tempo. Mudar de empresa ou emprego é uma das alterações de vida mais importantes e stressantes, daí que uma pausa entre um trabalho e outro possa ser benéfica. Idealmente com o tempo que for necessário para se preparar para este desafio.

Seguindo estes passos, lidar com os desafios de uma transição e com o processo de adaptação a uma nova função torna-se um pouco mais fácil e suave. E permite tornar-se um profissional mais capacitado e preparado para lidar com a volatilidade e transformação constante da atual economia e sociedade.