Excelência e Transformação Digital

Pedro Rocha e Silva, Partner da Neves de Almeida I HR Consulting esteve na Coimbra Business School para falar de “Excelência e a Transformação Digital”. No âmbito do Congresso RH Coimbra 2018, o partner da Neves de Almeida desafiou as organizações a desafiarem-se a si mesmas na procura daquilo que as distingue, naquilo que os seus colaboradores consideram que que são os temas relevantes para as suas empresas e ainda naquilo que as compara com a concorrência e o mercado. Desafiou-as a encontrarem o seu “Fator X”, o fator vencedor e que faz a diferença no sucesso de uma organização.

Ao mesmo tempo, o Partner da Neves de Almeida I HR Consulting lembrou o atual momento de transformação digital, rápida e transversal a todos atividades, setores e indústrias, e a todos os aspetos da organização e estrutura interna das companhias, independentemente da sua dimensão e a forma como está a mudar o mercado de trabalho.

Sobre a importância da autoavaliação empresarial Pedro Rocha e Silva abordou o  “Índice de Excelência”, – cujas inscrições, gratuitas, para a terceira edição estão a decorrer- www.indicedaexcelencia.com – estudo de clima organizacional e desenvolvimento de capital humano, criado pela Neves de Almeida | HR Consulting  e realizado em mais de duas centenas de organizações que tem como objetivo analisar o estado de arte das práticas de Recursos Humanos em Portugal e a premiar as entidades que mais investem e apostam nesta área.

Na sua intervenção, Pedro Rocha e Silva teve oportunidade de salientar alguns dos principais resultados do estudo nas suas várias dimensões – dinâmica organizacional, processos, clima e gestão de recursos humanos. Dos dados, destaque para as médias empresas, as participantes mais numerosas (47%) sendo a CSP – Consultoria e Serviços Profissionais 31% o setor com maior representatividade no estudo. Os colaboradores mais satisfeitos são os das Pequenas e Médias Empresas, sendo o clima a dimensão vais valorizada, em especial nas empresas de Tecnologia, Media e Telecomunicações, com destaque para a subdimensão do bem-estar.

A preocupação da organização com a satisfação dos clientes, o respeito do tratamento dos colaboradores por parte das chefias e a criação de novos desafios e oportunidades de negócio são os aspetos mais valorizados pelos colaboradores. A adequação do salário real ao desempenho e a injustiça do vencimento por comparação com as outras pessoas da empresa e atendendo às competências e esforço são os principais motivos de insatisfação.

Pedro Rocha e Silva teve oportunidade de destacar o elevado grau de “engagement” das pessoas com as suas organizações, que a maioria das emoções são positivas e que a melhoria das recompensas aos colaboradores e aposta no desenvolvimento das pessoas são as iniciativas organizacionais mais valorizadas, seja qual for a dimensão das empresas. O gosto pelo trabalho desenvolvido e o equilíbrio entre a vida profissional e a vida familiar são os fatores de retenção mais apreciados. No que diz respeito às práticas organizacionais, uma comunicação adequada à transmissão/divulgação de informação e dos valores, visão e missão definidos pela empresa estão em destaque.

Sobre a transformação digital – que alcança indivíduos, negócios e organizações -, o Partner da Neves de Almeida I HR Consulting lembrou que esta passa pelo uso de novas tecnologias, com abordagens disruptivas orientadas à satisfação dos clientes e que permitam melhorar a produtividade do colaborador de forma a maximizar os resultados e que se traduz em maior velocidade, agilidade e flexibilidade, com personalização e colaboração.

Pedro Rocha e Silva lembrou que dentro das organizações o digital já está a mudar o tipo de trabalho, o modo de trabalhar e a própria força de trabalho, o que exige mudanças ao nível da Cultura Organizacional e que atribui uma missão aos Recursos Humanos: conduzir/facilitar esta transformação, pela criação de condições que permitam, a toda a organização, seguir o caminho da mudança. Entre estas condições estão a aplicação da tecnologia e dos dados analíticos na gestão de talento, a identificação e desenvolvimento de competências “digitais” e capacidades sociais / colaborativas dentro da organização e fazer parcerias internas e externas para criar as condições da mudança desejada e disponibilizar novas fontes de valor.

Segundo o Partner da Neves de Almeida I HR Consulting, a particularidade dos processos de Transformação Digital está na maior Customização, Dinâmica, Agilidade e Iteratividade visando a concretização de iniciativas especificas na Cultura Organizacional, Funções, Talentos e Competências, Práticas de Trabalho e Ofertas a Clientes e Parceiros através de um processo de diagnóstico, definição e atuação.

De acordo com Pedro Rocha e Silva, a força de trabalho no futuro não irá assentar no trabalho em full-time de todos os recursos humanos, mas será sim composta por recursos humanos em tempo integral, bem como Consultores; Gestores; Freelancers ou outros colaboradores contingentes (“Gig Economy Workers”) com as estimativas recentes de pesquisas de emprego a documentarem um maior crescimento para funções especializadas e técnicas, como por exemplo Data Scientist; Marketing Digital; Engenheiro de Redes ou Aquisição de Talentos.

Em resumo, o Partner da Neves de Almeida I HR Consulting revelou que o digital aliado à Excelência significa uma profunda transformação funcional das organizações, nas quais a Inteligência Artificial será colega de trabalho, haverá uma maior fragmentação do mercado, com menor dependência de competências “humanas” e uma maior relevância e diferenciação pelas competências “humanas”, as únicas capazes da resolução de problemas, pensamento crítico e criatividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *