Excelência do Clima | Três sugestões para um Programa de Bem-estar de sucesso

Três sugestões para um Programa de Bem-estar de sucesso

Desenvolver e lançar simplesmente um programa corporativo de bem-estar não é suficiente. Há uma grande diferença entre um programa mediano e um altamente eficaz.
O bem-estar dos colaboradores é algo que interessa tanto aos próprios quanto aos empregadores. Um profissional saudável é mais feliz e mais produtivo, o que se reflete bem no negócio e mantém todos satisfeitos.

Portanto, se vai investir tempo, energia e recursos no desenvolvimento de um programa de bem-estar corporativo, concentre-se num lançamento e execução bem-sucedidos. Nós podemos ajudar, deixamos-lhe 3 importantes passos a considerar:

  1. Envolva o topo

O pior erro que uma empresa pode fazer é lançar um programa de bem-estar quando há divergência nos níveis superiores de gestão. Infelizmente, isso é bastante comum.
Se o CEO é desleixado quanto à imagem que passa da sua preocupação com o seu próprio bem-estar, que só come hambúrgueres ao almoço e passa o fim de semana a beber cerveja, os colaboradores terão motivos adicionais para não se interessarem pelo programa. Assumirão que o CEO está apenas a pensar no retorno do seu investimento.

Por outro lado, se o CEO faz exercício à hora de almoço, alimenta-se de forma saudável e encoraja os colaboradores a juntarem-se à sua liga de basquetebol aos fins de semana, de repente a saúde e o bem-estar são vistos como prioridades organizacionais genuínas.

Então, antes de iniciar o programa, verifique se existe envolvimento do topo. E, mais importante, assegure-se de que existem bons exemplos na liderança.

  1. Concentre-se nas tarefas certas

O planeamento estratégico deve ir ao encontro do desenvolvimento de um programa corporativo de bem-estar que funcione. Isso significa focarmo-nos nas áreas que oferecem maiores benefícios para os colaboradores e o negócio.

De acordo com Gary Lindsay, da Partnership for Prevention, existem três componentes importantes de um programa bem-sucedido de bem-estar corporativo: tabaco, diagnóstico de cancro e saúde e nutrição. “O tabaco (…) deve realmente ser uma das primeiras coisas que um empregador deve ter em atenção”, diz Lindsay.

O diagnóstico de cancro pode ser feito no local de trabalho, ou a empresa pode permitir que se vá a consultas de triagem e a outros serviços relacionados.

Quanto à saúde e nutrição, que provavelmente ocuparão a maior parte do envolvimento dos profissionais, há muitas maneiras de incentivar a participação. Por exemplo, pode-se:

_Contratar um personal trainer para disponibilizar aulas no local de trabalho.

_Dar aos funcionários 20 minutos extra no período de almoço, caso participem em algum tipo de atividade física.

_Oferecer opções dietéticas baratas e saudáveis ​​nas “vending machines” do escritório.

_Criar desafios de perda de peso em grupo ou outras competições.

É importante oferecer alguma variedade de ações para que os colaboradores possam escolher algo que corresponda às suas necessidades, preferências e horários.

  1. Faça do programa uma prioridade-chave

Se vai investir num programa de bem-estar corporativo, precisa obviamente de pensar no retorno. Um erro frequente é as organizações passarem muito tempo a desenvolver o programa e, em seguida, fazerem um péssimo trabalho em criar entusiasmo e envolvimento nos colaboradores.

Aqui ficam algumas estratégias que pode implementar para garantir que isso não acontece:

_Aplicar princípios de Marketing. Nas etapas iniciais, trate o seu programa como se se tratasse de um produto que está a vender. O Marketing irá percorrer um longo caminho para aumentar a visibilidade e conduzir à participação. Certifique-se de que está a saber divulgar o programa no local de trabalho. Colocar panfletos na sala de convívio é uma sugestão prática, bem como incluir as novidades na newsletter interna semanal.

_Concentrar-se nos benefícios. Depois de passar tempo a desenvolver o programa de bem-estar corporativo, é fácil ficar preso a vários elementos do próprio programa – como exames de saúde ou planos de treino. Mas tenha cuidado para não se concentrar apenas nos recursos. Para incentivar o envolvimento, precisa de se concentrar nos benefícios, ou seja, no que devem ganhar os colaboradores com a participação.

_Desenvolver um plano de incentivo. Alguns profissionais participarão porque estão interessados ​​em ser saudáveis, enquanto outros precisarão de um pouco mais de persuasão. Para este último grupo, um plano de incentivos específico é uma ótima ideia.

Se o lançamento for bem-sucedido, não terá de se preocupar com a sustentabilidade do programa.

Leia o artigo na íntegra aqui. E descubra ainda o que ganham os empregadores por colocarem o bem-estar dos funcionários primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *