A aprendizagem contínua é boa para sua saúde, carteira e vida social

(fonte)

Há histórias incríveis de pessoas que concluem a faculdade em idades avançadas. Como a de Doreetha Daniels, uma senhora, que aos 99 anos tirou uma licenciatura, simplesmente para “melhorar”, como conta a própria. Estatísticas recentes comprovam que há cada vez mais pessoas a terminarem a faculdade mais tarde.

É verdade que algumas nunca gostaram realmente da escola. Sentadas durante horas a fio, a assistirem ao que pareciam ser cursos impraticáveis, assumiam-no como um sacrifício. E quase todos nós temos limites de tempo e finanças – devido às crianças, organizações sociais ou trabalho – que tornam a educação formal adicional em muitos casos impraticável.

À medida que envelhecemos, porém, aprender não é simplesmente ganhar graus académicos ou frequentar instituições reputadas. Livros, cursos on-line, MOOCs, programas de desenvolvimento profissional, podcasts e outros recursos nunca foram mais abundantes e acessíveis como agora, tornando mais fácil do que nunca o hábito de aprendizagem ao longo da vida.

Todos os dias, a cada um de nós é oferecida a oportunidade de prosseguir o desenvolvimento intelectual e em formatos que são adaptados ao nosso estilo de aprendizagem e de vida.  Então porque não aproveitarmos mais essas oportunidades? Nós sabemos que vale a dedicação.

A próxima vez que estiver tentado a colocar a aprendizagem em segundo plano, lembre-se destes quatro pontos. Agarre a oportunidade! Mantermo-nos curiosos e intelectualmente humildes é dos propósitos mais gratificantes das nossas vidas.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *