7 erros a evitar numa entrevista de emprego

Autoria Imagem: Morgue File

A entrevista de emprego é um momento decisivo para os que procuram conseguir um novo emprego e onde é assumido que pouco pode falhar. Não existe um tipo de entrevista padrão ou conselhos infalíveis para que as entrevistas corram bem. No entanto há comportamentos a evitar e que podem facilitar o sucesso de uma entrevista de emprego:

1. Atrasos

Chegar atrasado a uma entrevista de emprego pode significar o insucesso da mesma. Um atraso demonstra, mesmo antes da entrevista começar, o carácter do candidato – desorganizado ou despreocupado.

Informar-se previamente da localização da empresa, a melhor forma de chegar e ir com tempo de antecedência são possíveis soluções. Caso aconteça um imprevisto e que esteja fora do controlo, é essencial avisar o quanto antes que poderá haver um atraso.

2. Não conhecer a empresa e o sector

Outro erro que deve ser evitado a todo o custo: mostrar um desconhecimento total da empresa onde vai.

Preparar-se nos dias antecedentes com visitas ao site, redes sociais da empresa, conhecer a sua missão, valores e pesquisar algumas notícias que já possam ter saído sobre a mesma funcionam a favor do candidato. Recolher algumas informações sobre o sector da empresa poderá ser também útil.

3. Falar mal de antigas entidades empregadoras e colegas de trabalho

Falar de uma forma menos positiva de antigos colegas de trabalho e de empresas onde já trabalhou não deverá fazer parte do discurso do candidato. Independentemente das razões dessas más experiências, elas não são uma informação relevante para quem está a recrutar. Além de pode demonstrar que o candidato não tem, por hábito, boas relações com as equipas com quem trabalha.

4. Discurso pouco claro

É aceitável que os candidatos estejam nervosos num momento de entrevista. No entanto, insegurança e um discurso pouco claro e assertivo não ajudarão no decorrer do processo. Para evitar “nervosos miudinhos” é possível preparar questões que sejam feitas – mas não devem ser decoradas respostas, mas sim ideias chaves a partilhar e demonstrar a maior naturalidade possível.

Devem ser evitadas respostas confusas a algumas questões mais sensíveis como por exemplo períodos de desemprego. Estas questões podem ser previamente antecipadas para serem respondidas de uma forma rápida e convincente.

5. A imagem

É habitual ouvirmos dizer “Não há uma segunda oportunidade para uma boa primeira impressão” e num contexto de entrevista de emprego esta ideia é para ser levada muito a sério. Cuidar da imagem (sem exageros) e vestir-se de forma adequada de acordo com a organização demonstra bom senso e é um primeiro passo para sentir-se seguro. Talvez numa entrevista para uma agência de publicidade não seja aconselhável levar um fato, mas o mesmo já não se aplica a uma entidade seguradora ou uma empresa de advogados.

6. Um Ego (demasiado) grande

Determinado candidato poderá apresentar um currículo invejável nas melhores empresas. No entanto o ego profissional deverá ficar sempre em segundo plano. Os recrutadores preferem profissionais que valorizem (e relembrem) as conquistas e os projetos bem sucedidos em que o valor da equipa tenha sido o ativo mais importante, mesmo que as capacidades profissionais e pessoais se tenham revelado decisivas.

7. Mentir

A mentira não é aconselhável em qualquer tipo de contexto, muito menos numa entrevista de emprego. Não exagerar nas qualificações ou nos cargos exercidos é um deles. Facilmente poderá ser descoberta a mentira.

Outro elemento no qual é preferível não mentir é o domínio das línguas. O processo de recrutamento poderá incluir um teste ou uma parte da entrevista poderá ser feita nas línguas requeridas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *